A Justiça Federal determinou a prisão de duas ex-superintendentes da pesca no Pará. Elas são suspeitas de terem participado do desvio de R$ 64 milhões no pagamento do seguro defeso – o benefício de quatro salários mínimos durante os quatro meses de proibição da pesca por conta da piracema. As informações são da TV Liberal.

As prisões atenderam ao pedido do Ministério Público que há pelo menos dois anos investiga a emissão de licenças desnecessária em diversas regiões do país.

Além da prisão das duas suspeitas, a Justiça Federal determinou a suspensão de todos os pagamentos do seguro defeso no Pará até que uma auditoria seja feita pelo Ministério da Transparência, fiscalização e Controladoria-Geral da União, que já detectou que um a cada três beneficiados do seguro são fraudadores no Brasil inteiro.