Um turista de São Paulo, de 52 anos de idade, morreu na manhã desta terça-feira, depois de mergulhar em Fernando de Noronha. Credenciado para a atividade, ele fez um mergulho autônomo na região da Caieira, a uma profundidade de cerca de 12 metros durante cerca de meia hora. Ao retornar à superfície, o homem sofreu uma parada respiratória.

De acordo com a gerência da empresa da operadora Águas Claras, que operou o mergulho, o cliente recebeu os primeiros socorros da equipe, com ventilação artificial e, de volta ao Porto de Santo Antônio, o turista foi encaminhado ainda com registro de batimento cardíaco para o Hospital São Marcos, pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O paciente morreu na unidade de saúde, vítima de parada cardíaca, como aponta o atestado médico. O corpo do morador da cidade de Suzano, interior de São Paulo, será transferido para Recife ainda nesta terça-feira e será submetido a exames no Instituto Médico Legal (IML), que poderão apontar detalhes sobre a causa da morte. Só então o cadáver será encaminhado para São Paulo. De acordo com a empresa de mergulho, na ficha que assinou, o cliente  não informou sobre qualquer problema de saúde.

Mortes no mergulho

No dia 30 de outubro do ano passado uma turista da cidade de Avaré, em São Paulo, que também tinha 52 anos de idade, morreu depois de um mergulho autônomo na região da Ilha Rata, em Noronha. Os dados estatísticos indicam que a cada 10 mil mergulhos ocorre um óbito. Em Fernando de Noronha são realizados aproximadamente 15 mil mergulhos por ano.