Um pescador submarino da ilha de Paquetá (RJ) foi multado em R$ 25,4 mil por ter publicado uma foto “selfie” com garoupa-verdadeira no Facebook. A espécie consta na lista de extinção da portaria 445/14 do Ministério do Meio Ambiente e, por isso, a captura foi configurada como crime ambiental. Vale lembrar que esta lista deve ser atualizada em 2018.

A partir da denúncia, a equipe de inteligência do Ibama começou o trabalho de pesquisa e identificação do dono do perfil na rede social, por meio da “Operação Selfie”. A identificação do infrator ambiental é a etapa mais difícil do processo de investigação, segundo o veterinário especializado em pesca, Leandro Aranha.

"Essa é a parte mais difícil porque os infratores ambientais se valem do anonimato da internet para tentar fugir da punição. A operação já começa a ter um direcionamento nacional porque as denúncias estão chegando e nós estamos nos articulando com as sedes do Ibama em outros estados", explica Leandro, em entrevista ao G1.

Aranha é integrante da “Operação Selfie”,  a qual foi determinada para o combate aos crimes ambientais nas redes sociais.

"O combate a este tipo de divulgação é extremamente necessário uma vez que gera uma sensação de impunidade e transforma um crime ambiental em um feito público. Os comentários demonstram que várias outras pessoas se sentiram estimuladas a cometer a mesma infração", lamenta.