Por falta de conhecimento da procedência e do estado de conservação, cerca de 300 toneladas de pescados serão descartados no mar por autoridades do Equador.

Esta decisão foi tomada depois que um barco chinês foi flagrado com essa carga dentro da Reserva Marinha de Galápagos, no Pacífico. Os 20 tripulantes ainda terão que cumprir uma pena de até 4 anos de prisão e a empresa dona da embarcação pagará uma multa de US$ 6 milhões.

No último dia 13 de agosto, a Armada Equatoriana flagrou o barco Fu Yuan Yu Leng 999 (foto) saindo de Galápagos com as 300 toneladas de peixes. A pesca é proibida no local. Além disso, entre os peixes estavam mais de 6 mil exemplares de tubarão, sendo muitos de espécies em extinção e protegidas.

Os chineses alegam que todos os pescados não haviam sido capturados pelos tripulantes do cargueiro, mas sim por dois barcos taiwaneses, Hai Fang 301 e Hai Fang 302. Tais embarcações teriam pescado a mais de mil quilômetros de Galápagos, uma semana antes do flagrante.

Mesmo assim, o Governo do Equador não irá livrar os chineses de uma grande suspensão, além da multa. No que depender da Justiça local, a embarcação agora ficará custodiada e deverá prestar serviços para os moradores de Galápagos.

“Esta decisão vai de encontro com a política de tolerância zero ao desrespeito à nossa soberania e de nossos princípios como nação. Estamos marcando um precedente em matéria jurídica ambiental a nível internacional”, sugere o ministro do Ambiente, Tarsicio Granizo.