A Indonésia segue com o sistema tolerância zero contra a pesca predatória praticada em suas águas por embarcações estrangeiras. Apenas no último sábado, 1º de abril, 81 embarcações de países como Malásia, Filipinas, Tailândia e Vietnã foram destruídas pela Marinha local.

Desde que Joko Widodo assumiu a presidência em 2014, a prática de afundar barcos estrangeiros tem sido muito comum. Especula-se que mais de 300 já tenham sido destruídos.  Os chineses também fazer parte da lista de “inimigos” de Widodo e algumas vezes houve tensão na região.  

Segundo o ministro dos Assuntos Marítimos e da Pesca, Susi Pudjiastuti, a Indonésia estava defendendo a sua soberania e combatendo a pesca ilegal. "Esperamos que Sino (o nome de um dos navios da Indonésia) seja o símbolo da nossa vitória contra a caça após anos de derrota, especialmente no leste da Indonésia", diz.

O país asiático está numa região muito piscosa do Oceano Índico. A decisão de não permitir a pesca predatória tem como objetivo proteger os pescadores artesanais, os quais dependem do pescado para tirar o próprio sustento.